Pico de consumo causa apagão que atinge 11 estados e DF

Concessionárias de energia reduziram o fornecimento a pedido do ONS. De acordo com órgão, alta na demanda e restrições na transferência de energia para o Sudeste motivaram os cortes

São Paulo – Na tarde desta segunda, faltou energia elétrica em três regiões do país. Pelo menos 11 estados mais Distrito Federal foram impactados: São Paulo, Rio de Janeiro, Espírito Santo, Minas Gerais,  Paraná, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e Rondônia.  

O apagão aconteceu devido a um pedido do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS).

Restrições na transferência de energia das regiões Norte e Nordeste para o Sudeste e elevação do consumo de energia elétrica teriam motivado o corte, segundo a ONS. (Veja a nota na íntegra abaixo).

De acordo com o ONS, dez usinas das regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste apresentaram perdas. Por conta disso, os cortes foram solicitados. Segundo o ONS, a operação impactou 5% da carga do sistema e às 15h45 a situação estaria normalizada. 

As distribuidoras de energia Eletropaulo, CPFL, Light, CEB, Copel, Cemig, Elektro, Celesc,  EDP Bandeirante, EDP Escelsa e Celg confirmaram o apagão elétrico.  Até agora, estima-se que 2.770 MW foram cortados

No Amapá, o corte de energia seria por problemas técnicos e em Alagoas, estava programada uma manutenção do sistema para hoje. 

Veja a situação em cada estado: 

São Paulo 

Em São Paulo, a Eletropaulo afirma ter restabelecido a totalidade de sua carga às 15h50. Segundo nota, mais de 700 Megawatts de energia distribuída foram cortados. 

Na capital paulista, o corte afetou a operação do Metrô. As estação República e Luz ficaram fechadas das 14h30 até às 16h30. 

Rio de Janeiro

De acordo com a Light, cerca de 500 MW de energia foram cortados por volta das 14h50. A distribuidora afirma que às 16h20 o fornecimento foi totalmente restabelecido. 

O corte de energia atingiu principalmente os bairros da zona oeste e norte da capital fluminense. Algumas cidades da Baixada Fluminense também foram afetadas. 

Minas Gerais 

A Cemig confirmou o corte de energia em Belo Horizonte e em outras cidades mineiras. A distribuidora não informou o volume reduzido. 

Espírito Santo

No estado, oito municípios foram afetados pelo corte. Segundo a EDP Escelsa, as cidades de Piúma, Alegre, Cachoeiro de Itapemirim, Marataízes, Presidente Kennedy, João Neiva, Barra de São Francisco e Pinheiros tiveram cortes de luz. O serviço já teria sido normalizado. 

Paraná

A Copel afirma que 320 MW foram cortados às 14h54. Às 15h15, 300 mil domicílios de diferentes regiões do Paraná ficaram sem energia. 

Segundo nota enviada à imprensa, a situação já estava normalizada por volta das 16h. 

Rio Grande do Sul 

A CPFL, que atende o interior de São Paulo e Rio Grande do Sul, afirmou que foram cortados 800 MW a partir das 15h. 

A AES Sul também cortou 700 MW, mas afirma que a situação já foi normalizada. 

Santa Catarina 

De acordo com a Celesc, que atende Santa Catarina e Paraná, o corte de carga foi de 150 MW, o que equivale a 3,7% da demanda do momento. O corte durou 45 minutos e atingiu cerca de 140 mil unidades

Distrito Federal

A CEB, responsável pelo fornecimento no Distrito Federal, afirmou que desligou 8 subestações entre 15h e 15h40. Segundo a distribuidora, 157 mil domicílios foram atingindos pelo corte de energia. 

Goiás

A Celg afirmou que o corte de carga foi de 200 MW. Segundo informações da empresa, o fornecimento foi normalizado às 16h. 

Amapá 

A Companhia de Eletricidade do Amapá afirma que o corte de energia ocorreu devido a um curto-circuito na subestação em Santana. O problema teria começado às 3h da manhã e, em alguns locais, a situação já estaria normalizada.

Veja o posicionamento da ONS: 

“No dia 19 de janeiro, a partir das 14h55, mesmo com folga de geração no Sistema Interligado Nacional (SIN), restrições na transferência de energia das Regiões Norte e Nordeste para o Sudeste, aliadas à elevação da demanda no horário de pico, provocaram a redução na frequência elétrica.

Na sequência, ocorreu a perda de unidades geradoras nas usinas Angra I, Volta Grande, Amador Aguiar II, Sá Carvalho, Guilman Amorim, Canoas II, Viana e Linhares (Sudeste); Cana Brava e São Salvador (Centro-Oeste); Governador Ney Braga (Sul); totalizando 2.200 MW. Com isso, a frequência elétrica caiu a valores da ordem de 59 Hz, quando o normal é 60 Hz. 

Visando restabelecer a frequência elétrica às suas condições normais, o ONS adotou medidas operativas em conjunto com os agentes distribuidores das regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste,  impactando menos de 5% da carga do Sistema.

A partir das 15h45, a situação foi totalmente normalizada.

Amanhã, dia 20 de janeiro de 2015, às 14h30, no Rio de Janeiro, o ONS se reunirá com os agentes  envolvidos para analisar a ocorrência”

Atualizado às 18h58

Apoie a Exame, por favor desabilite seu Adblock.