Estamos de cara nova! E continuamos com o conteúdo de qualidade.
Nova Exame

Amazônia é do Brasil e não da humanidade, diz general Heleno

"Temos capacidade para fazer o desenvolvimento sustentável da Amazônia sem prejudicar o resto do mundo", disse o ministro-chefe do GSI

Gerenciar a maior floresta tropical do mundo é um assunto brasileiro e os estrangeiros precisam parar de se intrometer na Amazônia, disse o ministro-chefe do Gabinete de Segurança Institucional, general Augusto Heleno.

"Não aceito essa história de que a Amazônia é patrimônio da humanidade, isso é uma grande bobagem", afirmou em entrevista no Palácio do Planalto. "A Amazônia é brasileira, patrimônio do Brasil e tem de ser tratada pelo Brasil em proveito do Brasil."

A fala do general coincide com os planos do governo de rever as áreas de conservação existentes em meio à crescente pressão dos lobbies de mineração e agricultura.

O presidente Jair Bolsonaro cancelou uma viagem a Nova York depois de o prefeito Bill de Blasio e ativistas o criticarem por questões que incluem sua posição em relação à floresta amazônica, cuja conservação os cientistas dizem ser fundamental para o debate sobre a mudança climática.

Heleno, que liderou uma missão de paz das Nações Unidas no Haiti, criticou duramente as organizações não-governamentais que trabalham no país, dizendo que algumas delas funcionam como cortina de fumaça de interesses estrangeiros.

"Há influência estrangeira na Amazônia, totalmente desnecessária e nefasta", disse Heleno. "As ONGs servem para esconder interesses. Há interesses estratégicos, econômicos, geopolíticos, tudo se mistura."

Este mês, oito ex-ministros do Meio Ambiente brasileiros escreveram uma carta aberta apontando que Bolsonaro está desmantelando sistemas de proteção ambiental e prejudicando a imagem do país no exterior.

O atual ministro da área, Ricardo Salles, respondeu dizendo que são as ONGs que prejudicam a reputação do Brasil.

"Temos capacidade para fazer o desenvolvimento sustentável da Amazônia sem prejudicar o resto do mundo", disse Heleno. "Agora, aceitar que o resto do mundo dê palpite na Amazônia quando o resto do mundo jamais aceitou palpite de outros países, eu não aceito."

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 4,90/mês
  • R$ 14,90 a partir do segundo mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 129,90/ano
  • R$ 129,90 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 10,83 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Veja também