Brasil

Alagoas assina convênios para atrair R$ 155 milhões em investimentos em troca de incentivos fiscais

Negócios envolvem engarrafadora da Coca-Cola, Gerdau e fabricante de asfalto

Governador Paulo Dantas assina termo, ao lado do ministro dos Transportes, Renan Filho (Divulgação)

Governador Paulo Dantas assina termo, ao lado do ministro dos Transportes, Renan Filho (Divulgação)

Rafael Balago
Rafael Balago

Repórter de macroeconomia

Publicado em 13 de junho de 2024 às 20h21.

Tudo sobreAlagoas
Saiba mais

O governo de Alagoas assinou um termo de renovação de incentivos fiscais com dez empresas, que fizeram investimentos de R$ 155 milhões no estado.

O maior investimento, de R$ 121 milhões, foi feito pela Solar BR, engarrafadora de produtos da Coca-Cola. O segundo maior, de R$ 10 milhões, foi da Capetro, do setor de asfalto.

"Podemos passar de 500 milhões de reais em investimentos nos próximos cinco anos em Alagoas", disse Fabio Acerbi, diretor de Relações Externas na Solar BR. O anúncio foi feito durante um evento da Invest Alagoas em São Paulo, nesta quinta, 13.

Outras empresas que assinaram o termo são Gerdau, Superpaver, Metalúrgica Mundial, Monsanto Pré-Fabricados, Teknol, Special Alimentos, Canto Natural e DPMC.

O governador de Alagoas, Paulo Dantas, disse que o estado quer debater com empresários novas formas de incentivos fiscais, para atrair negócios ao estado, em áreas como logística, energia e turismo. "Estamos abertos a discutir com empresários para criar os incentivos fiscais adequados", disse.

Dantas aponta que os incentivos têm ajudado a atrair mais empresas ao estado e, assim, aumentar a arrecadação. "Alagoas teve o maior crescimento do PIB do Nordeste em 2023, com 6,5%. No ano passado, tiramos 100 mil pessoas da pobreza extrema", disse.

Logística e novas energias

O estado tem buscado atrair negócios em várias áreas, com destaque para logística e gás natural. Alagoas acena com a vantagem de estar posicionado entre Salvador, Recife e João Pessoa.

A Natura, por exemplo, abriu um centro de distribuição no estado, em 2022. "Hoje, este centro é o maior que temos na América Latina. Emprega 900 pessoas, em 50 mil metros de área e processa 6 milhões de pedidos por ano, enviados para 10 estados brasileiros", disse Paulo Dallari, diretor de Relações Governamentais Brasil na Natura.

No setor de energia, o estado celebra o fato de ser autossuficiente em gás natural e tem avançado em um processo inédito de estocagem do produto, em parceria com empresas como Origem Energia e TAG.

O estado busca também mais negócios com energia limpa. Alagoas é um grande produtor de etanol e cana-de-açúcar, e planeja atrair novos projetos envolvendo o uso de biomassa.

Novo aeroporto em Maragogi

Alagoas também espera um novo boom no setor de turismo, com a abertura de um aeroporto em Maragogi, destino conhecido por praias e resorts.

"O aeroporto de Maragogi terá o primeiro trecho ainda entregue este ano, e as obras totais devem ser terminadas em 2025. É o maior aeroporto em construção do país", disse Dantas.

Acompanhe tudo sobre:AlagoasInvestimentos de governoCoca-ColaGerdau

Mais de Brasil

No ritmo atual, universalização do sanemento no Brasil só acontecerá em 2070, aponta estudo

Senado informa ao STF que deve votar projeto de renegociação da dívida dos estados em agosto

Aeroporto Salgado Filho retoma embarques e desembarques a partir de hoje; veja como vai funcionar

Mais na Exame