Agentes fazem última varredura em plenário da Câmara antes da posse

A medida faz parte do esquema de segurança reforçado montada em torno de todas as etapas da posse de Bolsonaro.

Funcionários do Gabinete de Segurança Institucional (GSI) participam, junto com agentes da Polícia Legislativa, de uma última varredura completa do plenário da Câmara, onde ocorrerá, daqui a poucas horas, a cerimônia de posse do presidente eleito Jair Bolsonaro.

Jornalistas credenciados para cobrir o ato em setores internos do plenário, como a galeria ou a tribuna de honra, foram orientados pela assessoria do Congresso a aguardar até as 13h antes de se encaminhar aos seus locais de cobertura. Ninguém pode acessar o plenário antes desse horário.

A medida faz parte do esquema de segurança reforçado montada em torno de todas as etapas da posse de Bolsonaro. A sessão solene de posse será aberta às 15h, pelo presidente do Congresso Nacional, senador Eunício Oliveira (MDB-CE).

Nesta sessão, Bolsonaro assume o compromisso de “manter, defender e cumprir a Constituição, observar as leis, promover o bem geral do povo brasileiro, sustentar a união, a integridade e a independência do Brasil”. O juramento é seguido do primeiro discurso de Bolsonaro como 38º presidente do Brasil. Parlamentares e convidados participam da solenidade que deve durar cerca de 45 minutos e acontece no plenário da Câmara dos Deputados.

Foram credenciados para cobrir a posse cerca de 1,1 mil profissionais de imprensa, sendo quase 200 estrangeiros. Os profissionais foram orientados a seguir estritas regras de segurança, como, por exemplo, não circular por corredores.

O público que vai acompanhar a posse na Esplanada dos Ministérios também deverá seguir algumas regras. Não é permitido acesso com carro e outros veículos, como bicicleta. Outros itens proibidos são guarda-chuva, carrinho de bebê e garrafas.

Apoie a Exame, por favor desabilite seu Adblock.