Abrafarma pede regulamentação de mais testes e vacinas na iniciativa privada

A entidade defende a ampliação do papel do varejo farmacêutico na assistência à saúde, o que inclui a regulamentação de mais testes rápidos e vacinas na iniciativa privada
Uma das reivindicações da entidade diz respeito à Consulta Pública 911, lançada em 2020 pela Anvisa (Clodagh Kilcoyne/Reuters)
Uma das reivindicações da entidade diz respeito à Consulta Pública 911, lançada em 2020 pela Anvisa (Clodagh Kilcoyne/Reuters)
E
Estadão ConteúdoPublicado em 14/09/2022 às 17:36.

A Associação Brasileira de Redes de Farmácias e Drogarias (Abrafarma) expôs uma lista de reivindicações ao Ministério da Saúde. A entidade defende a ampliação do papel do varejo farmacêutico na assistência à saúde, o que inclui a regulamentação de mais testes rápidos e vacinas na iniciativa privada.

Os pleitos da associação foram apresentados publicamente ao ministro Marcelo Queiroga, que participou do segundo dia do Abrafarma Future Trends, nesta quarta-feira, dia 14. O congresso promovido pela entidade reúne 5 mil empresários, executivos e dirigentes do setor no Transamérica Expo Center, em São Paulo (SP).

"Nos últimos 12 meses até julho, registramos 1 bilhão de atendimentos. É como se cada brasileiro visitasse pelo menos cinco vezes as farmácias. Temos capacidade para ampliar em até sete ou oito vezes a capacidade de imunização no país, e de promover pelo menos 40 tipos de testes laboratoriais",

Uma das reivindicações da entidade diz respeito à Consulta Pública 911, lançada em 2020 pela Anvisa, e à RDC 44 de 2009. "Essas medidas já representaram importantes avanços ao reconhecerem os serviços prestados em farmácias como serviços de saúde. Mas é necessária uma revisão para ampliar a regulamentação de novos testes e serviços como o de telessaúde", disse o CEO da entidade, Sergio Mena Barreto.

LEIA TAMBÉM:

Ministério da Saúde lança guia para médicos sobre gestantes e bebês

Síndromes respiratórias graves em jovens e crianças cresce no país, diz FioCruz