Tem de descer o cacete em vândalo, diz Ronaldo

Em sabatina, o ex-jogador e membro do COL reforçou as críticas à falta de legado da Copa

São Paulo - "A Copa do Mundo é a grande vítima disso tudo, era pra ser um evento para as pessoas celebrarem", lamentou nesta quinta-feira o ex-jogador Ronaldo, em São Paulo.

O conselheiro do Comitê Organizador Local (COL) comentou as críticas que fez aos atrasos nas obras da Copa.

Na semana passada, Ronaldo disse se sentir envergonhado com os atrasos e dificuldades do país nos preparativos para o mundial, causando desconforto no Palácio do Planalto.

"Na entrevista que eu dei para a Reuters, eu sinalizei principalmente as obras de infraestrutura, não exatamente os estádios, que bem ou mal vão ficar prontos pra Copa", disse hoje em evento da Folha de S. Paulo.

"A minha vergonha é pela população que esperava esse legado. Reformas de aeroportos, mobilidade urbana, tudo que foi prometido e não foi entregue", explicou.

Ronaldo disse que resolveu criticar a organização da Copa do Mundo para "distribuir as porradas para quem merece". "Faz dois anos que venho levando porrada que não são minhas", disse.

O jogador também rebateu as criticas da presidente Dilma Rousseff. "Eu acho que não se trata de ser otimista ou pessimista. Eu não tenho que concordar ou discordar da presidente, é a minha opinião", disse.

Protestos

Ronaldo disse que os protestos contra a Copa do Mundo são injustos. "Parece até que o Brasil era um país maravilhoso antes e a Copa que estragou tudo".

Para ele, o estado deve agir com violência contra os manifestantes "vândalos". "Vamos separar os vândalos e mascarados de um lado. A minha opinião é de que tem que descer o cacete neles, tirar das ruas e prender todos", disse.

O jogador, no entanto, concordou que a população tem o direito de protestar nas ruas, desde que sem violência

Perguntado se pediria para as pessoas não fazerem protestos, mesmo que pacíficos durante a Copa, Ronaldo respondeu com bom humor.

"Eu acho que os não violentos vão ficar em casa assistindo à Copa. Quem daqui vai perder uma oportunidade dessas? Até porque acho que vai ser a única por muito tempo, a Fifa tá muito traumatizada com a situação aqui", disse.

Política
 
Sobre ter declarado seu apoio ao pré-candidato à presidência Aécio Neves (PSDB), Ronaldo fez questão de esclarecer que não tem pretensões de assumir nenhum cargo político, nem de fazer campanha eleitoral.
 
"Eu pretendo viajar, entrar de férias e sumir por um tempo", disse.
 
O jogador também evitou fazer críticas diretas à presidente Dilma. Perguntando qual nota daria para o governo federal, escapou pela tangente. 
 
"Por que eu daria uma nota?Já tenho confusão demais, não posso administrar mais essa", brincou. 

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.