5G será ativado em Salvador, Goiânia e Curitiba em 16/8, diz conselheiro da Anatel

Moreira informou que começam nesta terça-feira, 9, os testes para averiguar eventuais interferências no sinal nessas capitais
5G: Para usar o 5G não é preciso mudar o chip ou o plano de telefonia (Andressa Anholete/Getty Images)
5G: Para usar o 5G não é preciso mudar o chip ou o plano de telefonia (Andressa Anholete/Getty Images)
E
Estadão Conteúdo

Publicado em 09/08/2022 às 14:06.

Última atualização em 10/08/2022 às 17:02.

A internet móvel de quinta geração (5G) já tem data para começar a ser ativada nas cidades de Salvador, Goiânia e Curitiba. Será na terça-feira da próxima semana, dia 16 de agosto. A informação foi compartilhada pelo conselheiro da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) Moisés Queiroz Moreira, que preside o grupo responsável pela limpeza da faixa por onde vão transitar os sinais de internet.

Moreira informou que começam nesta terça-feira, 9, os testes para averiguar eventuais interferências no sinal nessas capitais. Com tudo certo, a liberação da faixa para ativação do 5G será formalizada na reunião de sexta-feira (12) do Grupo de Acompanhamento da Implantação das Soluções para os Problemas de Interferência na faixa de 3.625 a 3.700 MHz (Gaispi).

Cinco capitais já contam com a cobertura do 5G: Brasília, Belo Horizonte, Porto Alegre, João Pessoa e São Paulo. No começo, o sinal cobre apenas alguns bairros das cidades, e ainda é comum que existam várias áreas de sombra, isto é, onde o 5G não pega.

Moreira disse que a previsão é que quase todas as capitais tenham a faixa liberada para ativação do 5G até o fim de agosto. Mas há exceções, ponderou, e pode ser necessário prorrogar o prazo por mais 60 dias. Este seria o caso de Manaus e Belém.

"Algumas cidades estão enfrentando mais dificuldades logísticas. Se fala muito em Manaus e Belém. Na reunião de sexta-feira, quero ter essas informações já levantadas. E, se for o caso, vou pedir ao conselho da Anatel a prorrogação do prazo", explicou Moreira.

Chegada do 5G

Para usar o 5G não é preciso mudar o chip ou o plano de telefonia. As companhias têm oferecido acesso livre à nova tecnologia. Basta ter um aparelho compatível com o 5G e estar dentro da área de cobertura do novo sinal. Há no mercado 81 celulares aptos a captar o 5G, conforme lista homologada pela Anatel. Os preços partem de aproximadamente R$ 1.500.

Há, porém, uma diferença entre os aparelhos. Apenas 59 modelos são capazes de funcionar no padrão "5G puro sangue" (standalone, no jargão do mercado), que oferece os níveis mais altos de velocidade e mais baixos de latência. Os outros 22 aparelhos funcionam no padrão non-standalone, com um desempenho inferior.

A chegada do 5G promete uma velocidade de tráfego de dados até dez vezes maior à do 4G, associado a um tempo de resposta entre os dispositivos praticamente instantâneo.

Muitas cidades já contam com o 5G DSS, que compartilha a mesma faixa que o 4G. Isso abriu espaço para um ganho de velocidade, mas ainda é bem abaixo do o 5G standalone que está sendo ativado agora.

LEIA TAMBÉM: 

Quem pode usar o 5G no Brasil? Veja a lista dos celulares compatíveis e como utilizar

Veja em quais bairros de São Paulo o 5G da Vivo vai funcionar nesta quinta

Como saber seu número de celular em poucos passos