Proposta com salário inferior ao que eu recebia: devo aceitar?

Com planejamento, dois passos atrás agora podem significar um salto importante no futuro

Muitas pessoas estão buscando recolocação no mercado de trabalho. Em momentos como esse, é comum que os candidatos se questionem se vale a pena aceitar uma proposta que oferece um salário inferior ao que ganhavam no antigo emprego. Acredito que não exista uma resposta padrão para essa pergunta, principalmente porque vivemos em um mundo capitalista, no qual precisamos de dinheiro para sobreviver. Sei também que é muito fácil dar uma opinião sem estar vivenciando a situação, mas minha experiência profissional e no mercado de recrutamento e seleção me deixam seguro para recomendar que a decisão só seja tomada depois de quatro análises:

1) A remuneração que você deseja é compatível com a praticada no mercado?

A primeira coisa que você tem que entender é se a remuneração que você deseja receber condiz com a média praticada pelo mercado. Você pode fazer esse levantamento conversando com pessoas da sua confiança, pesquisando em anúncios de emprego ou consultando estudos especializados, como o Guia Salarial da Robert Half, que apresentamos ao mercado todos os anos, inclusive, acabamos de lançar.

2) Como está a sua capacitação em relação a dos profissionais que atualmente ocupam a posição que você deseja?

Já vi situações em que a empresa promove um colaborador para determinado cargo com o devido aumento de salário, mas o profissional não performa da maneira desejada. Então, após a demissão, a pessoa se vê diante da necessidade de retornar ao mercado em um cargo abaixo daquele que ocupava. Pode acontecer também de o profissional ter permanecido durante muitos anos em uma função sem ter se atentado para as necessidades de qualificações e atualizações técnicas ao longo do tempo.

3) Qual é a remuneração mínima que você precisa para pagar seus custos básicos?

Se você aceitar um salário inferior ao que precisa para pagar suas contas básicas, certamente se verá em uma situação de insatisfação no curto prazo. Considere que dificilmente um empregador aumenta o salário de um colaborador antes de ele completar, pelo menos, um ano na companhia. Então, se você tem opção de escolha, continue procurando mais um pouco para se respeitar e se valorizar.

4) Qual é o seu fôlego financeiro para esperar que a remuneração desejada apareça?

Não há mal nenhum em aceitar uma remuneração inferior a desejada pensando no médio ou longo prazo, desde que haja planejamento e alguma expectativa de crescimento dentro da companhia. Afinal, aumentos salariais dependem tanto da performance do profissional quanto da realidade do mercado e da empresa. Porém, se a sua situação é realmente emergencial, aceite a oferta e continue procurando por uma oportunidade melhor.

Planeje cada passo da sua carreira, esteja você empregado ou buscando recolocação. Aqui na Robert Half costumamos dizer que procurar emprego dá trabalho, mas é recompensador. Às vezes, você dá dois passos para trás agora para dar um salto maior e mais consistente no futuro.

Aqui neste Blog, você encontra outros artigos sobre carreira, gestão e mercado de trabalho. Também é possível ter mais informações sobre os temas na Central do Conhecimento do site da Robert Half.

*por Fernando Mantovani, diretor geral da Robert Half

Espera! Tem um presente especial para você.

Uma oferta exclusiva válida apenas nesta Black Friday.

Libere o acesso completo agora mesmo com desconto:

exame digital

R$ 15,90/mês

R$ 6,36/mês

  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 44,90/mês

R$ 40,41/mês

  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa quinzenal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Apoie a Exame, por favor desabilite seu Adblock.