Ó Tempora, Ó Mores

No atual momento em que vivemos, temos que observar o que mudará para melhor no relacionamento em todos os nossos relacionamentos, inclusive conosco mesmo.

Vou fugir um pouco do tema deste blog neste artigo porque vivemos tempos diferentes. Como diria o romano Cícero, “Ó Tempora, Ó Mores”.

Com certeza, 2020 ficará na lembrança de todos nós por muito tempo ainda e ficaremos com marcas deste isolamento forçado que boa parte do mundo está passando.

Deixando de lado as opiniões políticas, se este isolamento praticamente total está certo ou não, ou a discussão sobre se os governantes precisam mesmo olhar para o sistema de saúde no curto prazo e deixar de lado a economia ou o contrário, até porque estas não são escolhas fáceis de se fazer e seja ela qual for, trará algum tipo de consequência ruim para muitas pessoas.

Mas prefiro fazer aqui uma reflexão sobre contentamento e já confesso que não é fácil me contentar com tudo o que está acontecendo. Na verdade, é um exercício muito grande, principalmente quando olho apenas para o lado econômico e vejo o desafio que temos pela frente com a nossa empresa e todos os colaboradores e fornecedores que também dependem dela.

Mas, ainda assim, se antes eu só conseguia me focar nos problemas que seriam gerados, após duas semanas confinado consigo enxergar também vários motivos para contentamento. Minha esposa, aliás, tem sido fundamental para me ajudar a enxergá-los.

Estou passando mais tempo com a minha esposa e filhos. Sim, temos que trabalhar também, tanto eu como ela, e meus filhos estão cheios de lição que a escola está mandando mas, ainda assim, estamos mais juntos, conversando, descobrindo novas formas de interagir uns com os outros, eu podendo ver como eles estudam e como a minha esposa trabalha e eles também podendo acompanhar um pouco mais do meu trabalho. E por mais que muitas vezes o dia seja muito intenso, com certeza está sendo uma experiência marcante e muito proveitosa e, mesmo querendo que a quarentena acabe logo, sei que sentirei falta disso depois.

Também estou aprendendo à força que no mercado da youDb dá, sim, para trabalhar à distância com toda a nossa equipe, graças às ferramentas tecnológicas. Claro que a interação pessoal é importante e faz muita falta, mas alguns paradigmas que eu tinha foram quebrados e, com certeza, quando a quarentena acabar, a forma de trabalho não será mais a mesma.

E, por fim, estou aprendendo também a praticar a resiliência. Afinal, preso dentro de casa, muitas vezes o que nos resta é parar de olhar para tudo o que está ruim e que não controlamos, colocar isso de lado e olhar para coisas simples que, de fato, podem estar ao nosso alcance, nos desconectar dos problemas e trazer algum tipo de satisfação. No meu caso, cozinhar coisas diferentes. E no seu?

Desejo, sinceramente, que Deus, que acredito que controla tudo, nos faça entender o motivo disso tudo e nos faça sair mais fortes e confiantes para o que vem pela frente.

Apoie a Exame, por favor desabilite seu Adblock.