Sem brincadeira, Ri Happy aposta em bufê e vai além da boneca

O fundo de investimento americano Carlyle - controlador da rede - está desde o ano passado planejando abrir o capital da varejista na bolsa

A rede de lojas de brinquedos Ri Happy vai  lançar seu marketplace. Até o final do primeiro semestre entrará no ar a seção de produtos, incluindo itens que não são encontrados em suas 276 lojas físicas, como eletroeletrônicos.

A segunda, em 2020, vai oferecer serviços, como bufês de festas infantis. O investimento nos negócios digitais da rede será de 30 milhões a 40 milhões de reais até 2020.

Controlador da Ri Happy, o fundo de investimento americano Carlyle está desde o ano passado planejando abrir o capital da varejista na bolsa.

Apoie a Exame, por favor desabilite seu Adblock.

Você já leu todo conteúdo gratuito deste mês.

Assine e tenha o melhor conteúdo do seu dia, talvez o único que você precise.

Já é assinante? Entre aqui.

Plano mensal Revista Digital

Plano mensal Revista Digital + Impressa

  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa quinzenal.

  • Frete grátis

R$ 15,90/mês

R$ 44,90/mês

Plano mensal Revista Digital

Acesse ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

ASSINE

Plano mensal Revista Digital + Impressa

Acesse ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças + Edição impressa quinzenal com frete grátis.

ASSINE