Fusão da Avianca Brasil com holding fica para depois

Segundo Frederico Pedreira, presidente da Avianca Brasil, a visão continua a ser de uma única empresa no longo prazo.

A Avianca Brasil, quarta maior operadora aérea do país, e a Avianca Holdings, da Colômbia, adiaram o projeto de fusão por pelo menos 18 meses. As duas empresas são controladas pelo Grupo Synergy, dos irmãos José e Germán Efromovich, e montaram, em 2017, um grupo de trabalho para estudar a união dos negócios — é o terceiro em sete anos. Com a expansão internacional da Avianca Brasil, que em 2017 iniciou voos para Miami e Santiago, as duas empresas podem passar a concorrer no mercado regional no futuro. Segundo Frederico Pedreira, presidente da Avianca Brasil, a visão continua a ser de uma única empresa no longo prazo.

Apoie a Exame, por favor desabilite seu Adblock.