Fusão da Avianca Brasil com holding fica para depois

Segundo Frederico Pedreira, presidente da Avianca Brasil, a visão continua a ser de uma única empresa no longo prazo.

A Avianca Brasil, quarta maior operadora aérea do país, e a Avianca Holdings, da Colômbia, adiaram o projeto de fusão por pelo menos 18 meses. As duas empresas são controladas pelo Grupo Synergy, dos irmãos José e Germán Efromovich, e montaram, em 2017, um grupo de trabalho para estudar a união dos negócios — é o terceiro em sete anos. Com a expansão internacional da Avianca Brasil, que em 2017 iniciou voos para Miami e Santiago, as duas empresas podem passar a concorrer no mercado regional no futuro. Segundo Frederico Pedreira, presidente da Avianca Brasil, a visão continua a ser de uma única empresa no longo prazo.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.