Denúncias de assédio superam as de corrupção nas empresas

Grandes empresas lançam canal para denúncias de corrupção, mas reclamações de assédio moral, sexual e preconceito são as mais comuns, diz pesquisa

Nos últimos anos, a Operação Lava-Jato tem estimulado empresas de todos os portes a implementar um canal de denúncia anônima para identificar riscos de envolvimento em crimes como corrupção, fraudes e desvios de recursos.

Mas o maior número de relatos recebidos por esse meio diz respeito a assédio moral, sexual e preconceito, segundo levantamento da filial brasileira da consultoria americana de ética e compliance ICTS Protiviti, que administra no país canais de denúncia para 322 empresas.

As reclamações ligadas a problemas de relacionamento entre funcionários subiram 5,6 pontos percentuais em 2018 em comparação com 2017, atingindo 50,4% de um total de 75.000. Os homens fizeram 61% das reclamações, mas foram as mulheres as responsáveis pela maioria das denúncias sobre relacionamentos.

“Desde que surgiu o movimento contra o assédio MeToo, nos Estados Unidos, percebemos que a sociedade mudou e está mais atenta ao tema dos abusos”, diz Cassiano Machado, sócio da ICTS Protiviti.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 4,90/mês
  • R$ 14,90 a partir do segundo mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 129,90/ano
  • R$ 129,90 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 10,83 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Veja também