Chinesa tem pressa para comprar hidrelétrica Santo Antônio

As negociações duram mais de um ano, e agora a SPIC corre para concluir a transação antes da posse de Bolsonaro na Presidência

A companhia chinesa geradora de energia State Power Investment Corporation (SPIC) tem pressa em fechar a compra da Usina Hidrelétrica Santo Antônio, que fica no Rio Madeira, em Rondônia. As negociações duram mais de um ano, e agora a SPIC corre para concluir a transação antes da virada para 2019, quando Jair Bolsonaro tomará posse da Presidência. Desde a campanha eleitoral, ele vem manifestando preocupação com os investimentos chineses no Brasil. Foram mais de 54 bilhões de dólares desde 2003, e há mais 70 bilhões engatilhados, segundo o Ministério do Planejamento. A SPIC fez, no final de outubro, uma proposta de 10 bilhões de reais aos sócios que controlam 61% da Santo Antônio: Odebrecht Energia, Andrade Gutierrez e Cemig, além do FGTS. Segundo EXAME apurou, a Andrade Gutierrez discorda do montante oferecido e está atravancando a negociação. A Andrade não comenta.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.