Dois segmentos para atuar na crise

Onde não haverá escassez. Pelo contrário, haverá abundância de oportunidades.

O primeiro está no desperdício de alimentos. Segundo a ONU, 30% do alimento produzido no mundo é descartado. Parte dele são frutas e legumes que não se adequam aos padrões de beleza exigidos por supermercados e feiras.

A startup brasileira Fruta Imperfeita surgiu justamente para explorar este mercado polpudo. Ela compra de produtores rurais frutas e legumes “feios” e os revende para a população com descontos de até 50%. Quer saber mais? Acesse frutaimperfeita.com.br. Em 2019, o faturamento da empresa aproximou-se de 2 milhões de reais.

Outro segmento promissor é o dos descartes plásticos. Segundo o Banco Mundial, cada pessoa no mundo descarta cerca de 40kg de plástico por ano. E a previsão é que este número dobre até 2030!

O site brasileiro B2Blue surgiu para lucrar com este “lixo”. A plataforma digital anuncia empresas que têm sobras de plástico, papel, borracha, metal ou vidro para descartar. Então, outras companhias interessadas em adquirir essas matérias primas por valores atraentes fecham negócio. O site B2Blue fica com uma porcentagem de cada transação. A empresa já chegou a movimentar 800 milhões de reais em um único mês.

Não importa qual a profundidade da crise que iremos enfrentar. O comércio, a indústria e os restaurantes não irão deixar de uma hora para outra de descartar alimentos e materiais valiosos. Estes são mercados robustos. Basta dizer que somente 3% do lixo no Brasil é reciclado. Enfim, se você está procurando uma área para atuar no pós-covid, #fica a dica.

Apoie a Exame, por favor desabilite seu Adblock.