Os 5 passos pra controlar os gastos pessoais e da empresa

Nathalia Arcuri: Avançar ou não nesses passos depende só de você e eu recomendo fortemente que você dê o primeiro hoje

Por Nathalia Arcuri

Sandra acordou preocupada, de novo. Ela sabia que mais uma vez, depois de 12 anos à frente do próprio negócio, teria que torcer pra que o salão de beleza dela faturasse pelo menos R$350 hoje. Sem isso, ela não teria como pagar as despesas variáveis da própria  casa, como a conta de luz, que vencera na semana anterior. 

Se a história da Sandra é familiar pra você, acredito que valha a pena investir 5 minutos neste artigo. 

Antes de qualquer coisa, preciso compartilhar um aprendizado que me ajudou muito nos meus primeiros anos depois de pedir demissão pra cuidar do meu próprio negócio: 

Acredite no processo. 

Se alguém que já trilhou esse caminho dezenas de vezes e superou a barreira do "não sei separar o que é meu do que é da empresa e vivo com o dinheiro que ganho dos clientes", você também é capaz. Mas não apenas acredite nessa pessoa, faça o que ela está te sugerindo por pelo menos um mês. Pior não vai ficar e o único risco que você corre é aprender algo novo. E vamos combinar que se você respira e o seu coração bate, você deveria estar aprendendo coisas e jeitos novos todos os dias. 

O espaço aqui é pequeno para o passo a passo completo, mas vou compartilhar o que eu acredito ser indispensável pra que você, empreendedora ou empreendedor, tenha sucesso na tarefa de controlar os gastos pessoais e separar de uma vez por todas a PJ (pessoa jurídica) da PF (pessoa física). 

Fiz um passo a passo de cinco etapas pra você seguir pelos próximos 30 dias. Avançar ou não nesses passos depende só de você e eu recomendo fortemente que você dê o primeiro hoje. Pra cumprir essas etapas você vai precisar de alguns materiais imprescindíveis:

  • Extratos bancários das contas física e jurídica (de todos os bancos) dos últimos três meses 
  • Faturas de cartão/cartões dos últimos três meses 
  • Caderno novo (pensa que é uma vida nova que tá começando) 
  • Canetas/ lápis 
  • Lenço de papel (caso você chore com a realidade que nem sabia que tinha). Se você chorar, saiba que é normal e que passa se você continuar seguindo os passos. 

Vamos lá! ;) 

1 - Faça duas selfies financeiras, uma pra você e outra pra sua empresa.

Uma coisa é não separar as contas, outra é não saber o que foi pra quem. Durante uma semana, no tempo que tiver, mesmo que seja das 4h às 6h, pegue todos os extratos e faturas do cartão (ou dos cartões) de crédito dos últimos 3 meses e jogue os dados na planilha que tá indo de presente aqui no final desse texto.  Sua tarefa será identificar o que foi pago pra você na PF e o que foi pago para as despesas do seu negócio, como transporte, compra de matéria prima, guia do MEI, contador, etc. 

2 - Feito isso, dê uma nota de 1 a 5 para a sua capacidade de gestão financeira. Considere como 1 "totalmente incapaz" e dê a nota máxima apenas se você já estiver separando todas as contas, recebe pró-labore no mesmo valor todos os meses, tem metas claras, retira apenas o necessário do lucro uma vez ao ano e reinveste pra crescer todos os anos. Nesse caso, apenas compartilhe esse texto com outras pessoas. Você não precisa dele. 

A ideia é que você se avalie de maneira realista, mas não punitiva. Não seja cruel com você. Apenas seja realista.

Importante: Não peça opinião alheia. Eu quero que você se avalie pela sua própria régua até porque é ela que vai determinar o próximo passo. 

3 - Talvez nesse momento você tenha usado o lencinho de papel. Não se preocupe. Também acontece com meus alunos que passam por esse processo e aconteceu comigo em várias circunstâncias. O próximo passo depois de enxugar as lágrimas é ir direto para o caderno. Faça uma lista de tudo o que você gostaria de melhorar. Exemplo: separar despesas fixas das despesas variáveis, ter um pró-labore, ter dinheiro pra pagar as contas da casa sem tirar do caixa da empresa e assim por diante. Repare que eu não sugeri colocar no papel reclamações do que você não sabe. A forma como você vai escrever é determinante para as ações que você vai tomar. Nunca escreva "não sei separar as contas fixas", ou "não ganho pró-labore".  Isso não vai te levar a lugar nenhum, porque não gera uma ação propositiva. 

4 - Encontre, no mínimo, três clientes fixos para a sua empresa que paguem o suficiente mensalmente pra manter dois funcionários: você e mais um. Geralmente esses clientes são empresas, não pessoas. E vale pra tudo: de brigadeiros à arquitetura. Se você for capaz de usar a criatividade pra adaptar esse conceito ao seu negócio, vai se dar bem. Exemplo: uma aluna minha do curso ‘Eu, Chefe de Mim’ (link pra matrícula com desconto no final desse texto) era designer gráfica e arranjou (na cara de pau) três clientes de áreas completamente distintas pra gerenciar as redes sociais e criar conteúdos pra eles. Nessa "brincadeira", passaram a entrar R$5 mil todo mês e ainda sobrava tempo pra pegar clientes esporádicos que pagavam muito mais caro pelo mesmo serviço. 

5 - Crie uma recompensa para o dia em que terminar os quatro passos. Se você fizer tudo isso,  pode se  dar um presente. Esses quatro passos anteriores são extremamente difíceis e poucos conseguem completá-los. Não por falta de oportunidade, mas por falta de apoio das pessoas mais próximas. Se a sua família critica em vez de apoiar, reclama em vez de orientar… talvez esteja na hora de buscar uma rede de apoio em fóruns como o Me Poupe!, Rede Mulher Empreendedora e Sebrae, pra começar. 

Você não precisa passar perrengue sozinha ou sozinho. Juntos e com a orientação correta, nós somos mais fortes. 

Planilha de presente da Nath para controle de gastos: https://bit.ly/37Oi1Le

Link de 10% desconto para o curso “Eu, Chefe de Mim”, exclusivo para leitores da Exame: https://bit.ly/3CUH8KD

Assine a EXAME e fique por dentro das principais notícias que afetam o seu bolso.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 4,90/mês
  • R$ 14,90 a partir do segundo mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 129,90/ano
  • R$ 129,90 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 10,83 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Veja também