Um profissional para duas vagas: empresas de tecnologia disputam talentos

A startup de recrutamento Revelo avaliou que sobram vagas no setor por falta de qualificação profissional

É muito comum ouvir que o mercado de trabalho está cada vez mais saturado. No entanto, para quem disputa uma vaga no setor de tecnologia, a realidade pode ser bem diferente. De acordo com pesquisa feita pela Revelo, startup de recrutamento em tecnologia, a proporção é de um profissional para duas vagas, ou seja, nesse segmento, são as empresas que competem para conquistar talentos.

A líder de relações públicas da Revelo, Beatriz Ambrósio, destaca que essa grande demanda tem a ver com o fato de que hoje o mercado precisa de tecnologia para tudo. Inclusive, nesse período de pandemia, houve um aumento de 250% na busca por esses profissionais especializados.

“Vamos fazer uma analogia com uma casinha. A base dessa casinha no mercado de trabalho hoje é a tecnologia. Então pensa que para vender alguma coisa na internet você precisa de tecnologia e por aí vai. Todo mundo precisa desse profissional, ou desse tipo de empresa. É por isso que a procura aumentou tanto”, explicou.

Assim, é possível perceber que o cenário atual conta com um mercado cada vez mais dependente de profissionais de tecnologia. Vale destacar também que a procura não tem aumentado apenas no Brasil, mas em escala mundial. O que nos mostra que a modernização de processos está transformando as mais diversas formas de trabalho.

Levando em consideração essas novas demandas, Beatriz Ambrósio avalia que na hora de escolher um caminho profissional, é preciso buscar especializações. “O primeiro ponto é se formar tecnicamente na área de tecnologia, e isso, nessa área, não significa procurar uma faculdade. Existem escolas que oferecem cursos profissionalizantes na área de tecnologia que funcionam muito bem e que não necessariamente dão o diploma de bacharel. Hoje isso na área de tecnologia não é mais necessário”, ressaltou.

Leia também Inovação no mercado de trabalho é uma oportunidade para diferentes perfis profissionais Cultura organizacional é fundamental nos setores privado e público, afirma Fábio Barbosa

Outro ponto importante para quem deseja ser um bom profissional de tecnologia é o domínio de outros idiomas, como o inglês, pois, principalmente na área de programação, existem linguagens e códigos universais.

“Quando a gente fala dessa universalidade a gente já faz um paralelo com o inglês. Então é importante que isso aconteça. Com o estudo da Revelo, percebemos que apenas 32% desses profissionais de tecnologia falam inglês. Então é fundamental, para um profissional que esteja pensando em iniciar a carreira em tecnologia, que o inglês e a parte técnica estejam completos”, acrescentou.

Ainda de acordo com estudo da Revelo, existem cerca de 45 mil vagas disponíveis nesse segmento de tecnologia. Essa carência de profissionais acontece principalmente por causa da necessidade das empresas se reinventarem em diversos momentos, desde o processo seletivo, que precisa ser feito por recrutadores que realmente entendam a realidade do profissional de tecnologia, até os benefícios oferecidos, que precisam fazer sentido para essa nova geração.

Ao invés dos especialistas precisarem se destacar, é a vez das companhias oferecerem motivos para serem escolhidas. “Não é mais aquela conversa de sentar numa entrevista e o mando de jogo estar nas mãos da empresa, agora a coisa está mais equiparada. O candidato também está analisando aquela empresa. Então são essas duas frentes, tanto do candidato, quanto do recrutador, de entender que o jogo está equilibrado”, afirmou.

Dificuldade de qualificação

A baixa qualificação profissional impacta a economia como um todo, pois ao mesmo tempo que existem vagas, falta capacitação. Assim, para quem deseja aproveitar o momento de alta oferta de vagas, uma boa ideia é investir em especialização no segmento.

“Sofremos mundialmente com a falta de profissionais de tecnologia, mas não é possível ingressar nesse mercado sem uma formação específica na área. Então entendemos a importância do investimento na área da educação para que essa demanda seja suprida”, apontou.

A expectativa é que o mercado de tecnologia apresente um crescimento ainda maior nos próximos anos. Segundo Beatriz Ambrósio, o termômetro para essa constatação é que “o primeiro semestre de 2021 teve um número de abertura de vagas maior que o de 2019 inteiro”.

+Não perca: Webinário exclusivo do Clube Millenium falará sobre “Mercado e Tecnologias disruptivas”

Mas vale ressaltar que a necessidade de qualificação não é apenas para o universo da tecnologia. Estar bem inteirado acerca das mudanças do mercado é indispensável para conquistar uma boa vaga de emprego.

“A gente precisa seguir sempre atualizado para conseguir defender os nossos pontos de vista dentro do mercado de trabalho, avançar, pleitear melhores cargos e melhores salários”, destacou.

Se queremos que a economia do nosso país se desenvolva, precisamos assumir o protagonismo das nossas vidas, buscando cada vez mais conhecimento para concorrer às melhores vagas, ou até mesmo para criar novas oportunidades de emprego. Dessa forma, será possível manter o mercado de trabalho aquecido, despertando interesse dos investidores e o desenvolvimento do país como um todo.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 4,90/mês
  • R$ 14,90 a partir do segundo mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 129,90/ano
  • R$ 129,90 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 10,83 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Veja também