Financiamento privado: garantia de acesso e permanência no ensino superior

A disponibilidade de bolsas e/ou financiamentos públicos ou privados acaba sendo uma saída, em muitos casos uma necessidade

Por Lígia Vasconcellos, Tainá Portela, Amanda Gross e Sergio Firpo

A relevância do diploma do ensino superior, principalmente com relação ao seu retorno sobre salários e oportunidades futuras de trabalhos, tem motivado cada vez mais brasileiros a se matricularem na faculdade. Os jovens, no entanto, se deparam com um sistema composto majoritariamente por instituições de ensino privadas, trazendo muitas vezes uma sobrecarga sobre a renda familiar daqueles que buscam ingressar no ensino superior.

A disponibilidade de bolsas e/ou financiamentos públicos ou privados acaba sendo uma saída, em muitos casos uma necessidade, para esse público. É nessa seara que o Pravaler, maior plataforma de soluções financeiras para educação do Brasil, procura atuar. Criada há 20 anos, a empresa trabalha como facilitadora do acesso à educação privada, possibilitando aos jovens a suavização dos custos financeiros em cursos de graduação, pós-graduação e cursos de curta duração como livres e técnicos.

Em nossa pesquisa, realizada no segundo semestre de 2020 para medir o impacto do uso do crédito concedido pela empresa, mostramos que a porcentagem de pessoas que ingressaram e permaneceram no ensino superior é 18,6 pontos percentuais maior do que teria sido sem o financiamento do Pravaler. Além disso, o ingresso em cursos de longa duração (bacharelado) é 4,8 pontos percentuais maior para clientes da empresa. Os resultados também mostraram que a disposição a tomar crédito novamente é 14,9 pontos percentuais maior para esse público.

Utilizando questionários online, comparamos clientes que tomaram o crédito em 2016 e que estariam formados ou próximos de se formar no final de 2019 com pessoas com características socioeconômicas parecidas. Ambos os grupos buscaram o crédito com o Pravaler e foram aprovados para tomar crédito em 2016, sendo que o grupo controle não tomou o crédito. Ao todo, contamos com 2.113 questionários respondidos.

Além da avaliação de impacto, também foram realizadas entrevistas em profundidade com 13 participantes da pesquisa. As entrevistas mostraram que dificuldades financeiras foram os principais motivos para a solicitação do crédito. Alguns não teriam condições de cursar o ensino superior sem crédito ou bolsa e já solicitaram no momento da matrícula; outros tiveram alguns imprevistos como perda de emprego próprio ou diminuição de renda familiar. Vale ressaltar que o crédito não é a única ação diante dos imprevistos, buscam emprego ou outras fontes de financiamento, incluindo familiares e amigos.

A pesquisa permitiu compreender novos e importantes aspectos do crédito estudantil ao confirmar a sua relevância no ingresso e permanência no ensino superior, pois, como comentado no início, o diploma dá aos jovens mais oportunidades de emprego e renda. Ademais, a forma de atuação do Pravaler também gerou impacto positivo sobre a disposição a tomar crédito, relacionada à satisfação destes clientes com o produto mais “descomplicado” e totalmente digital oferecido pela empresa, que ajuda com a educação financeira e melhor uso do crédito.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 4,90/mês
  • R$ 14,90 a partir do segundo mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 129,90/ano
  • R$ 129,90 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 10,83 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Veja também