• BVSP 106.296,18 pts -1,3%
  • USD R$ 5,6505 +0,0001
  • EUR R$ 6,5801 -0,0022
  • ABEV3 R$ 14,93 -1,39%
  • BBAS3 R$ 28,99 -2,78%
  • BBDC4 R$ 20,42 -3,91%
  • BRFS3 R$ 22,25 -2,41%
  • BRKM3 R$ 55,15 -3,18%
  • BRML3 R$ 7,11 -6,94%
  • CSAN3 R$ 20,83 -2,16%
  • ELET3 R$ 35,35 -2,46%
  • EMBR3 R$ 24,13 +0,00%
  • Petróleo US$ 85,31 +0,79%
  • Ouro US$ 1.799,20 +0,16%
  • Prata US$ 24,50 -4,30%
  • Platina US$ 1.045,60 -0,56%

Quem você precisa conhecer

As rodadas de negócios da feira Conexão Pelo Clima promovem o encontro de fornecedores com potenciais clientes, parceiros ou investidores

Imagine uma pequena empresa que oferece uma solução inovadora para diminuir as emissões de gases do efeito estufa. Por melhor que seja essa ideia, ela precisa de investimento para ganhar escala, o que pode ser desafiador, especialmente se esse empreendedor não conhece potenciais investidores. Do outro lado, gestores de empresas e governos podem estar, naquele exato momento, quebrando a cabeça para conseguir dar alguma resposta aos desafios impostos pela crise climática, pois estão sendo cada vez mais cobrados para apresentarem soluções nesse sentido e também estão percebendo que esse é um caminho sem volta e lucrativo no médio-longo prazo. Essas pessoas estão dispersas em ambientes diferentes, mas precisam se encontrar.

A boa notícia é que esse ponto de encontro existe e o nome dele é rodada de negócios. Essa atividade será um dos destaques de um dos eventos de negócios pelo clima mais importantes do país: a terceira edição da Feira Conexão Pelo Clima e Summit Climate Ventures, que acontece nos dias 26, 27 e 28 de outubro (e está com inscrições abertas pelo site conexaopeloclima.com.br). O último dia será dedicado a essas oportunidades para parcerias de impacto positivo entre empresas, governos e startups, a partir de modelos de negócios bons para o clima. Elas terão o formato de rápidos encontros empresariais online, nos quais as organizações serão colocadas frente à frente, com horários previamente agendados, em mesas de negociação individuais, de acordo com cada necessidade e perfil de atuação. Durante uma rodada de negócios, será possível comprar e vender produtos e serviços, trocar informações, conhecer mercados potenciais e ampliar a cadeia de fornecedores.

“Essa é uma oportunidade única tanto para ofertantes quanto para compradores para identificar e captar novos fornecedores, clientes e parceiros, conhecendo mercados potenciais, acessando novas tecnologias e realizando negócios rapidamente em âmbitos nacional e internacional”, afirma Lucas Helfenstein Nieto, gestor de projetos na Climate Ventures, organização que encabeça a organização das rodadas. “Para as startups é simplesmente imperdível porque essa é uma das dores mais recorrentes dos empreendedores de impacto: conseguir acessar clientes e mercado. Quando você tem um momento específico pra isso, é algo muito valioso. E mesmo no caso de empresas e cidades, com seus desafios imensos mas que ainda estão engatinhando em relação à inovação e inovação aberta em seus planejamentos estratégicos e cadeias de valor, é muito rico. Por mais que eles tenham muitos recursos, nem sempre sabem onde procurar ou com quem conversar para se manterem antenadas nesse universo”, completa.

A primeira experiência com esse modelo de reuniões aconteceu de maneira presencial na edição de 2019 do Conexão Pelo Clima (que, na época, se chamava Conexão Carbono Zero) e contou com a participação de mais de 70 inscritos, com startups, empresas e municípios de todo Brasil, Chile, Colômbia, Canadá e Argentina. São conversas que podem levar a muitas possibilidades de parcerias em toda a América Latina. O evento é fruto da parceria entre o Instituto O Mundo Que Queremos, CDP Latin America e Climate Ventures, que são instituições com perfis diferentes e, por isso mesmo, criam um espaço único, com todos os atores que precisam conversar para que a gente consiga mitigar a tempo os efeitos das mudanças climáticas.

Baseado nas rodadas que já aconteceram em eventos anteriores, Lucas Nieto afirma que espera que essa edição tenha como participantes dois públicos principais: "demandantes" e “ofertantes”. O primeiro grupo é composto por empresas e governos — como secretarias de meio-ambiente, clima e prefeituras — que estão buscando soluções inovadoras para resolver algum desafio de suas cadeias de valor ou de suas cidades. O segundo contempla, principalmente, startups e pequenas e médias empresas, que já atingiram um recorte de maturidade em que seus produtos e serviços, já sabem que existe a demanda por eles e têm capacidade de fornecimento para compradores interessados, ou seja, estão prontas para crescer.

São conversas rápidas, que duram de 15 a 30 minutos dentro de uma plataforma própria para esse tipo de papo. É a primeira vez que as rodadas de negócios vão acontecer nesse formato, mas Lucas Nieto acredita que a expectativa para esse ano é a melhor possível. “Na plataforma, todos os participantes possuem seus respectivos perfis com informações de cadastro e seus principais desafios e necessidades indicados. Com base nisso, tanto compradores quanto ofertantes podem solicitar agendamento de rodada”, explica. Até o tempo curto das conversas é visto pela organização como positivo. “Isso faz com que as partes sejam mais diretas em relação ao que lhes levou a agendar as reuniões. Nada impede que continuem os papos depois.” A expectativa é de que, pelo menos, 100 organizações participem da edição 2021. “Assim vamos orquestrar e fomentar conexões entre todos os atores do ecossistema de empreendedorismo climático.”

A 26ª Conferência das Partes da Convenção das Nações Unidas sobre Mudança do Clima (COP 26) vem aí e líderes do mundo inteiro estão com os olhares voltados para essa agenda, já que as mudanças climáticas têm deixado cada vez mais claro que temos que parar tudo e fazer isso agora. Descarbonização é a palavra do momento e precisamos mais do que nunca fomentar negócios que caminhem nessa direção.

*com Angélica Queiroz

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 4,90/mês
  • R$ 14,90 a partir do segundo mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 129,90/ano
  • R$ 129,90 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 10,83 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.