Reflexões sobre o isolamento

Reflexões sobre o isolamento, sobre as incertezas, abundância e escassez que este momento de quarentena tem nos levado a viver.

Escrevi uma pequena reflexão para dividir com meus clientes. Alguns me pediram pra compartilhar, resolvi compartilhar aqui também.
Quem sou eu pra achar que posso dizer algo sobre tudo isto? Sou nada, assim como tudo o é. Também sou tudo, como qualquer coisa e qualquer um. É desse lugar apenas que divido apenas para dividir. Não para instruir e nem convencer.

Espero que você esteja bem. Espero que esteja se cuidando, levando a sério o isolamento temporário, cuidando de você e daqueles ao redor, com quem você está ligado. Ou seja, toda a humanidade e o universo.

Estamos passando por um período singular, de desafios e aprendizagens. Naturalmente, muitos pensamentos e emoções são provocados e intensificados. Se você não está vivendo isto desta forma, creio que está se negando a acolher e perceber a realidade na qual está inserido. Este período tem, por providência sagrada ou acaso, a capacidade de revelar e desfazer máscaras. Fará isto para você mesmo, sobre suas próprias máscaras, se você estiver disposto e disponível para ver e aceitar, poderá ser um presente.

Não é caso de desespero. Se você está se sentindo desesperado ou angustiado demais, está muito apegado a uma imagem que já não existe mais, ou muito apegado a imagens catastróficas de futuro que tampouco existem. A realidade provavelmente não será nem um e nem outro cenário. Este momento passará, como tudo passa. Nós inclusive.

Escrevo esta breve mensagem para dividir e convidar a alguns pensamentos rápidos.

Aceite o que está acontecendo e desacelere. A aceleração do mundo é um valor no qual fomos levados a creditar e, pior, aprendemos a valorizar. Não há pressa na vida. Há um convite para um momento de aceitação, recolhimento e desaceleração. Se você não aceitar isto e acolher, há risco de adoecer. O momento é sem dúvida um momento de cura. Cada um na sua cura. Recusar a escuta leva à doença. A doença também é sempre a intensificação de um pedido de cura. Em você ou no sistema. Normalmente, nesta relação. A doença nunca vem apenas de fora.

Acolha o fato de que você sentirá raiva, medo, angústia, tristeza. Não se assuste e não negue. Deixe o sentimento fluir e se relacione com ele. Esta é a única forma dele passar e te fazer escutar a mensagem que ele traz. Os sentimentos são grandes mensageiros e sempre carregam algo que naquele momento é importante pra nós. Se puder, conte para aqueles ao seu redor como está se sentindo, e avise que não precisam resolver isto, apenas te escutar.

Também existe abundância, alegria e oportunidades neste momento. Perceba e conecte-se. Não são oportunidades de negócios apenas. São, principalmente e mais importante, oportunidades de aprendizagem. Oportunidade de mudar algo.

O vírus não foi mandado para salvar o planeta e nem para nos trazer uma lição divina. Mas ele criou mais uma oportunidade contundente para acordarmos e aprendermos algo. Para mudar algo em nossa vida e, desejosamente, em como nossa sociedade se organiza, vê, julga e faz. Principalmente, como ela lida com o valor e com a remuneração por estes valores. Esta mudança ainda não está acontecendo, embora existam atitudes novas. O mais importante agora é que você faça uma reflexão do que você deve mudar na sua forma de viver, e pense em quais incoerências sobre nós esta situação evidencia. Quais delas nos consomem?

Pare de esperar a situação passar e tente estar no presente, vivendo cada dia. A situação é o que é. O que era antes está no passado, e certamente, no futuro, uma nova situação mais harmoniosa e confortável se organizará. Não será em uma ou duas semanas, mesmo que desejemos muito que fosse. Provavelmente será em meses. Ainda assim, é um tempo razoável, pelo qual podemos passar se abrirmos mão de uma espera constante pra que a situação volte pra trás.

Eu tenho observado muito e percebido coisas sobre mim, minhas atividades, minha vida. Não estou conseguindo fazer coisas que achei que faria, e estou descobrindo possibilidades que não imaginava. Também quero uma situação de menos angústia o quanto antes. Não pensem que não tenho este desejo, e que por vezes não sofro com ele. Procure abrir mão da braveza e fique na bravura. A bravura é aceitar o que é. Em tudo e em todos. A bravura é perceber a incoerência na sua vida, mesmo e principalmente se ela parecia perfeita. A minha parecia. Este castelo de cartas já caiu.

Não julgue os outros. A situação é complexa e difícil pra todos, em formas e intensidades distintas. Existem muitas perspectivas e a situação pode ser vista e vivida de ângulos distintos. Acolha a sua perspectiva, mas tenha alguma paciência com perspectivas distintas. É claro, mantenha o senso crítico para as perspectivas que possam prejudicar o coletivo.

Neste momento há escassez e há abundância. Muita gente se sente na escassez, mas tem ao seu alcance a abundância. Muita gente se agarra no ter, guiado pelo medo da escassez. Ter por medo da escassez é estar na escassez. Doe, ajude os outros e manifeste a sua abundância. Isto vai ajudá-lo e ajudará o mundo. Muitas vezes isto é mais uma escolha do que realmente uma possibilidade. Mas esta avaliação e esta decisão é apenas sua. Ninguém pode fazer por você.

Por fim, entenda que afastamento é importante neste momento como uma estratégia. Uma tática temporária para gerenciar o vírus e o que ele pode fazer com a humanidade e com cada um de nós. Vai passar, mas querer ignorar a ciência, os dados e acelerar este momento é apenas negação. Não há fundamento científico ou empírico para isto. Há, claro, uma vontade muito grande de acreditar nesta solução e achar que o mundo inteiro está apenas histérico. Mas o mundo todo não é tão ignorante. A negação também é uma reação de pânico. Mas mesmo com isolamento, muros não irão nos proteger. Quanto mais agirmos e pensarmos como um grande corpo, aceitando o que posso fazer e o que devo deixar de fazer, mais rápido sairemos desta crise e mais aprendizagens carregaremos para a próxima fase.

Mais uma vez, fiquem bem. Cuidem-se e vibrem cura e esperança.
Grande abraço a todos.

Apoie a Exame, por favor desabilite seu Adblock.