• BVSP 125.675,33 pts -0,5%
  • USD R$ 5,0816 -0,0003
  • EUR R$ 6,0371 -0,0056
  • ABEV3 R$ 17,09 -1,38%
  • BBAS3 R$ 32,33 -1,73%
  • BBDC4 R$ 24,61 -1,20%
  • BRFS3 R$ 26,05 -1,48%
  • BRKM3 R$ 59,3 +0,34%
  • BRML3 R$ 10,43 +1,76%
  • CSAN3 R$ 26,43 -1,45%
  • ELET3 R$ 42,15 -1,29%
  • EMBR3 R$ 19,35 -0,10%
  • Petróleo US$ 74,60 -0,67%
  • Ouro US$ 1.831,80 -0,22%
  • Prata US$ 25,33 +0,00%
  • Platina US$ 1.060,90 +0,00%

Agilidade é sinônimo de economia no mercado imobiliário

Além de custo e localização, as facilidades e as oportunidades que os escritórios oferecem para atrair colaboradores são aspectos imprescindíveis na escolha

Uma das certezas que a pandemia da Covid-19 trouxe para as empresas foi a necessidade de repensar os espaços de trabalho. No mercado imobiliário, discutimos muitas vezes neste período o futuro dos escritórios, mas o que se viu foi uma crescente análise de ocupações, o que levou companhias a se mudarem para outros endereços ou optarem pela devolução de parte de seus espaços. A equação “custo x uso real” tem se mostrado cada vez mais fundamental.

Depois de quase um ano olhando para os próprios números, a maioria das empresas já tem condições de tomar decisões acertadas e seguras no que diz respeito ao tamanho, à localidade e à função de seus escritórios. Se não tem, deveria correr para ter, porque essa é a hora ideal para colocar os planos de readequação em prática.

A variável crucial é o tempo. Mesmo que haja clareza das necessidades da empresa, não é rápido encontrar o local ideal para uma mudança, negociar as condições e cláusulas de um contrato, realizar as reformas e efetivamente ocupar. Em geral, estamos falando de seis meses com time debruçado no projeto, pensando desde a desmobilização do escritório atual até o dia em que os colaboradores possam ocupar suas novas posições.

Falando especificamente da desmobilização, estamos percebendo o aumento de proprietários que têm aceitado receber os espaços devolvidos ainda mobiliados. A prática mais comum antes da pandemia era exigir a devolução nos mesmos padrões da entrega. Agora, dispor de um mobiliário novo e moderno pode ajudar a atrair novos ocupantes.

Nesse caso, ganha a empresa que abriu mão do espaço, já que terá menor custo na hora da devolução, ganha o proprietário, que fica com um espaço planejado e de alta qualidade, e ganha também o novo locatário, que terá economia no custo de mudança e precisará de menos tempo para ocupar o novo escritório.

No primeiro trimestre de 2021, já vimos o volume de transações aumentar e notamos que a busca por bons espaços se intensificou. As empresas estão conscientes de seus ativos e, neste momento, agem para colocar o planejamento em prática. Novamente, olhando para o processo de locações, devemos ter um aumento no número de transações até o final do ano.

Essa maturidade do mercado prova que as decisões de real estate passaram a ter uma posição ainda mais estratégica dentro das empresas. Além de custo e localização, ficou claro que as facilidades e as oportunidades que os escritórios oferecem para atrair colaboradores são aspectos imprescindíveis, assim como a flexibilidade das empresas de se adaptarem aos desafios sempre que for necessário.

*Yara Matsuyama é diretora da Divisão de Escritórios da JLL.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 3,90/mês
  • R$ 9,90 após o terceiro mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 99,00/ano
  • R$ 99,00 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 8,25 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.