Os números (não) mentem

Ultimamente tenho sido procurado por muitas pessoas que parecem desalentadas com sua situação financeira e, por isso, buscam se aposentar, mudar de empregou ou, ainda, montar um negócio próprio. Esta busca é estimulada pela sensação de que a nossa economia está forte, com muitos investimentos sendo feitos e níveis de desemprego baixíssimos, em torno de 6%, ou seja, se algo der errado basta voltar ao mercado de trabalho que rapidamente […] <div class="read-more"><a href="https://exame.com/rede-de-blogs/etiqueta-financeira/2014/04/19/os-numeros-nao-mentem/" class="more-link">Leia mais</a></div>

Ultimamente tenho sido procurado por muitas pessoas que parecem desalentadas com sua situação financeira e, por isso, buscam se aposentar, mudar de empregou ou, ainda, montar um negócio próprio.
Esta busca é estimulada pela sensação de que a nossa economia está forte, com muitos investimentos sendo feitos e níveis de desemprego baixíssimos, em torno de 6%, ou seja, se algo der errado basta voltar ao mercado de trabalho que rapidamente acha-se uma colocação.

E é aí que mora o perigo.

Veja que a pesquisa oficial de desemprego busca, dentro da população economicamente ativa, quem BUSCOU E NÃO ENCONTROU EMPREGO nos últimos 3 meses. Esta é a pergunta feita na pesquisa, esta é a metodologia.

Olhe ao seu redor e veja que existem muitas pessoas sem carteira assinada que não tem ocupação que gere renda e que não fizeram esta busca nos últimos 3 meses, sequer nos últimos 30 meses. Portanto responderiam NÃO e, portanto nunca seriam classificadas como desempregadas.

Outro número importante é a quantidade de pessoas assistidas pelo programa Bolsa Família, algo como 40 milhões de brasileiros. Obviamente que nem todos fazem parte da população economicamente ativa, caso seja somente 20%, ou um titular para sustentar outros 4 com o dinheiro vindo do programa, teríamos perto de 8 milhões de brasileiros desempregados que simplesmente não podem e não devem buscar emprego, pois se derem o “azar” de encontrar, perdem o dinheiro do programa Bolsa Família.

Concluindo, 8 milhões de pessoas correspondem a 4% da população total do Brasil, ou seja, o número de desempregados no Brasil é quase o dobro do que mostram as pesquisas. Não porque estas estejam erradas, mas sim porque sua metodologia é antiquada.

Cuidado ao fazer mudanças em sua vida, pois a situação não é tão boa como aparece na pintura.

 

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 1,90

Nos três primeiros meses,
após este período: R$ 15,90

  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês

  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Atenção! A sua revista EXAME deixa de ser quinzenal a partir da próxima edição. Produziremos uma tiragem mensal. Clique aqui para saber mais detalhes.
Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.