"Passaporte de vacinas" chega ao futebol brasileiro

Torcedores terão aplicativo nos jogos com Chronus i-Passaport, que apresentará os testes negativos ou certificação de vacinação contra o Covid-19

Com o retorno gradativo da torcida aos estádios, a Federação Pernambucana de Futebol (FPF) adquiriu uma tecnologia inovadora no Brasil, mas que já foi testada e aprovada pelo mundo, a Chronos i-Passaport. A ferramenta associa o conceito de passaporte aos certificados de vacinação e profilaxia, nacional e internacional.

A Mooh!Tech, startup franco-brasileira, desenvolveu o sistema para que seja um passe livre digital, que permite a qualquer torcedor imunizado ou testado negativo estar apto a participar da partida, sem risco de propagar o Covid-19. A tecnologia também se aplica com cunho social, por viabilizar o cumprimento mais efetivo e seguro do planejamento desenvolvido pelas autoridades sanitárias, além de servir como contribuição pedagógica, influenciando boas práticas profiláticas e conscientização epidemiológica. Para o retorno do público aos estádios em Pernambuco, os torcedores precisarão ter validado seu i-Passport com teste RT/PCR 48 horas ou vacinação, de acordo com o protocolo da autoridade local, feito em conjunto com federações e CBF.

O i-Passaport não será apenas para os torcedores, mas também aplicado para o staff, jogadores, comissão técnica, autoridades, serviços essenciais e imprensa. A leitura dos certificados será feita por QRcode em catracas ou leitura manual. Para adquirir, é necessário fazer o download e cadastro do app Chronus i-Passaport e ativar o modo premium para registro de testes ou vacina na rede homologada pela Mooh!Tech, detentora dos direitos e inteligência tecnológica da plataforma. No cadastro, os torcedores poderão colocar o time do coração, para que as entidades recebam parte da verba destinada.

Mas, para quem tiver interesse em fazer o pré-cadastro do Chronus i-Passport, pode acessar o http://www.iPassport.world, preencher o formulário e enviar a foto da carteira de vacina para ter acesso a versão Free do iPassport. A Federação Pernambucana comemorou a parceria e explicou por que o aplicativo será importante para a retomada dos torcedores ao estádio. “O passaporte é uma solução de registro de identificação de saúde. O uso contínuo permite o controle do status de saúde da população e a diminuição dos protocolos atualmente necessários para o retorno. Será uma credencial obrigatória para qualquer pessoa envolvida com futebol, atendendo as demandas essenciais nesse momento”, disse Evandro Carvalho, presidente da federação pernambucana.

Para o CEO da Mooh!Tech, Everton Cruz, o Chronus i-Passport é uma solução de registro e identificação de saúde. Seu uso contínuo permite que apenas as pessoas com status de vacinação contra a Covid-19 circulem sem restrições. "A adoção do i-Passport possibilita diminuir consideravelmente e, até mesmo, eliminar, muitos dos protocolos hoje necessários para a retomada de atividades. Ao utilizar o i-Passport como uma credencial no controle de acesso a locais públicos ou privados, várias medidas, complexas para serem atendidas, deixam de ser essenciais”, defendeu o executivo.

Everton Cruz avalia que é muito importante para os governos estadual, municipal e empresas privadas se utilizarem dessa plataforma para que a gestão em relação à saúde dos seus cidadãos e colaboradores seja feita de uma forma igualitária e segura. “Só dessa maneira eles terão acesso mais rápido à abertura com segurança de suas atividades econômicas, ao retorno de uma vida normal, mas com segurança”.

A intenção é que, identificando o mapeamento do vírus, não seja necessário o distanciamento na arquibancada, no banco de reservas e atendimento à imprensa assim como, medição de temperatura em todas as entradas, e até mesmo a perda das características sociais e humanas do futebol, como cumprimentos, trocas de camisa, flâmulas e a falta de perfilamento para o Hino Nacional.

No Brasil, o primeiro jogo com entrada de torcedores aconteceu na última quarta-feira (22), na partida entre Flamengo e Defensa Y Justicia (ARG), pelas oitavas de final da Libertadores da América, no estádio Mané Garrincha, em Brasília. Apenas 25% do estádio foi utilizado, por 15 mil torcedores, como teste para observação da CBF. Aqueles que compraram os ingressos tiveram de apresentar um teste PCR negativo ou comprovante de duas doses da vacina contra a Covid. Os torcedores ficaram distanciados e utilizando máscara como protocolo.

Este blog tem inúmeras ressalvas sobre o fato de se "eliminar muitos dos protocolos hoje necessários para a retomada de atividades". Mas sem dúvidas de que é uma ferramenta que auxilia o retorno seguro do público aos estádios e ginásios.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 4,90/mês
  • R$ 14,90 a partir do segundo mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 129,90/ano
  • R$ 129,90 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 10,83 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Veja também