NFTs: O novo hype do mercado digital ecologicamente correto

Entenda como a tecnologia blockchain e os NFTs se tornaram assunto em evento global sobre mudanças climáticas e impactos econômicos causados pela pandemia

A mais nova categoria de ativos digitais, os tokens não-fungíveis (NFTs), tem ganhado grande destaque no mercado cripto. O NFT é um token único e exclusivo, e pode representar obras de arte, música e até itens de vídeo games em um ecossistema digital. No último ano, os NFTs têm alcançado surpreendentes US$ 29 bilhões em capitalização de mercado e US$ 3 bilhões em volume de transação diárias, e estas cifras têm chamado a atenção de investidores, artistas e organizações mundiais.

A reunião anual da Assembleia Geral das Nações Unidas, realizada no último mês em Nova Iorque, discutiu especialmente, a crise mundial provocada pela pandemia do COVID-19. Em paralelo, o Global Blockchain Business Council (GBBC), principal associação do setor de tecnologia blockchain, sediou sua conferência como parceiro oficial da Semana de Metas Globais da Fundação das Nações Unidas.

Um dos temas abordados pelas organizações foi o potencial da tecnologia blockchain e NFTs durante a pandemia, para mitigar a mudança climática e apoiar o setor artístico e cultural, como nova oportunidade de renda para um dos setores econômicos mais afetados pela crise do COVID-19.

As novas plataformas blockchain para a emissão de NFTs, não têm focado apenas em seu crescimento econômico, mas também, em promover o desenvolvimento sustentável. Impulsionados pelo apelo de artistas e seus fãs, e por uma obra artística digital sustentável, as plataformas de NFTs têm alterado seu protocolo de Proof-of-Work para Proof-of-Stake, o que tem permitido as plataformas reduzirem suas emissões de carbono ao emitir os tokens NFTs exclusivos. Podemos ver essa tendência em alguns exemplos, tais como:

  • PoA-studios: plataforma de NFT comprometida com as Metas de Desenvolvimento Sustentável das Nações Unidas (n° 8: Emprego Digno e Crescimento Econômico, n° 10: Redução das Desigualdades e n° 12: Consumo e Produção Responsáveis), que apoia artistas e criadores a comercializar suas artes, arrecadar fundos e se conectar com marcas por meio de tokens sustentáveis e NFTs. A PoA utiliza o protocolo blockchain Palm, que é 99% mais eficiente que os convencionais e com pegada de carbono próximo de 0%.

Durante os eventos das Nações Unidas e GBBC, a plataforma PoA em parceria com a galeria de arte MINT Talent Group, lançou uma coleção de três peças em NFT intitulada “Story of the Peach”, para celebrar os 50 anos do álbum de platina "Eat a Peach" da banda The Allman Brothers Band. A coleção de NFTs em edição limitada inclui o token animado Peach Birth. O proprietário do NFT receberá um par de ingressos VIP vitalícios para o Festival de Música Peach da Allman Brothers Band, uma visita guiada ao Big House Museum do grupo, foto autografada e tokens de acesso futuro ao fã-clube exclusivo para tokenholders.

Eu tive a oportunidade de comparecer ao evento da Nações Unidas e GBBC e conhecer o projeto.

Alex Nascimento, Sandra Ro e Heidi Pease co-fundadoras da plataforma de NFT PoA-studios.com expondo uma das peças da obra Story of the Peach  projetado pelo artista Chris Consani e Noah Levinson durante o evento realizado pelo GBBC

Alex Nascimento, Sandra Ro e Heidi Pease co-fundadoras da plataforma de NFT PoA-studios.com expondo uma das peças da obra Story of the Peach  projetado pelo artista Chris Consani e Noah Levinson durante o evento realizado pelo GBBC (Alex Nascimento/GBBC/Divulgação)

“Estamos gratos por lançar nossa plataforma com a equipe inovadora do MINT Talent Group e seu cliente singular, The Allman Brothers Band. Aprovamos seu apoio aos ODS da ONU e esperamos contribuir com seus artistas”, disseram as co-fundadoras da PoA, Sandra Ro e Heidi Pease.

  • Valuables: plataforma de NFTs que proporciona lances à tweets autografados. O tweet de Jack Dorsey, CEO do Twitter, foi vendido na plataforma por aproximadamente US$ 3 milhões. Os rendimentos em bitcoin com a venda da obra foram doados para a GivenDirectly, uma organização que envia fundos para famílias africanas acometidas pela pandemia (ODS 3).
  • Enjin: pioneira na emissão de NFTs, a empresa se tornou participante do Pacto Global das Nações Unidas e segue o Crypto Climate Accord. Sua plataforma Jumpnet consome 99,99% menos energia que o Ethereum, blockchain mais popular para a emissão de NFTs. Enjin ainda planeja combater as mudanças climáticas com a captura de carbono, a fim de cooperar com as missões da ONU. O acesso sem permissão, proporcionado pela plataforma, também contribui para eliminar a desigualdade de oportunidades de criadores e artistas de diferentes regiões do mundo ao expor suas obras.
  • Theos: plataforma que permite a cunhagem, leilão verificado, negociação de NFTs e acesso a recompensas de mineração de liquidez, a partir de um ecossistema descentralizado e neutro em carbono. A tecnologia fornecerá recursos de NFT socialmente responsáveis, em parceria com organizações filantrópicas ao nível mundial, impulsionados por talentos artísticos, musicais e teatrais exclusivos.

Hoje, os NFTs já estão participando dos maiores eventos de arte do mundo. Na primeira semana de Dezembro 2021, acontece em Miami a Art Basel, e eu fui convidado pela Casa Brasil Miami, um espaço especial que promoverá arte e cultura Brasileira, durante a icônica semana, para oferecer um workshop sobre NFT/Criptoarte que será transmitido online gratuitamente para todo o planeta.

A tecnologia de NFTs tem encontrado formas extraordinárias de colaborar com um setor que foi fortemente abalado por uma economia em crise. Os NFTs também têm sido capazes de atrair a atenção de novos artistas, projetos e públicos que visam participar de um ambiente inovador e sustentável.

As plataformas de NFTs se tornaram a primeira tecnologia a apresentar uma nova forma de realizar ações em favor da sociedade e do meio ambiente. Os tokens tornaram-se capazes de proporcionar à instituições, uma nova oportunidade de arrecadar fundos para realizar ações ou projetos solidários, engajando artistas, fãs e investidores de forma rápida, simples, segura e sem fronteiras.

Siga o Future of Money nas redes sociais: Instagram | Twitter | YouTube

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 4,90/mês
  • R$ 14,90 a partir do segundo mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 129,90/ano
  • R$ 129,90 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 10,83 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Veja também