Future of Money
Acompanhe:

NBA Top Shot movimenta R$ 200 milhões em um dia com cards em blockchain

Mercado de NFTs colecionáveis atinge números recordes; na plataforma Sorare, card de Cristiano Ronaldo foi vendido a quase R$ 800 mil

 (Mike Ehrmann / Equipe/Getty Images)

(Mike Ehrmann / Equipe/Getty Images)

G
Gabriel Rubinsteinn

22 de fevereiro de 2021, 18h51

A plataforma em blockchain NBA Top Shot, criada pela liga norte-americana de basquete em parceria com a Dapper Labs e que tem como objetivo a negociação de cards colecionáveis digitais, atingiu um volume recorde de negociação no último final de semana, movimentando 37,8 milhões de dólares (cerca de 208 milhões de reais) em criptomoedas em apenas 24 horas.

No NBA Top Shot, os usuários compram e vendem os famosos cards colecionáveis com jogadas marcantes da NBA, porém em versão digital. Cenas dos jogos são transformadas em tokens não-fungíveis em blockchain (NFT, na sigla em inglês) e negociados pelos usuários da plataforma.

Assim como acontece com os cards de papel, nos colecionáveis em NFT a avaliação de preço depende do jogador representado, do momento exibido, do resultado do jogo, do seu número de série, e, claro, da sua tiragem — quanto menor a tiragem, mais raro e, portanto, mais valioso.

Segundo o site Cryptoslam, que monitora as plataformas de colecionáveis em blockchain mais populares do mundo, quase 30 mil pessoas realizaram mais de 151 mil transações na plataforma, movimentando 37,8 milhões de dólares nas últimas 24 horas. Os três números representam os maiores valores da história da plataforma.

Nos últimos 30 dias, o NBA Top Shot movimentou 145 milhões de dólares (quase 800 milhões de reais), com transações efetuadas por mais de 52 mil usuários. A plataforma, entretanto, não é a única a movimentar cifras milionárias em criptoativos.

No domingo, 21, um card colecionável de Cristiano Ronaldo, na plataforma Sorare — que funciona como o NBA Top Shot, porém vinculado aos maiores times de futebol do mundo — foi negociado, sozinho, por 105 mil dólares (577 mil reais) em ether, o criptoativo da rede Ethereum utilizado nesse tipo de negociação. A Fórmula 1 é outra empresa que possui uma plataforma de NFTs colecionáveis, com o seu F1 Delta Time.

Os NFTs são tokens únicos, registrados em blockchain e com informações em contratos inteligentes. Esse tipo de token não é intercambiável e é indivisível. Assim, não pode ser trocado, simplesmente porque não há outro igual. Isso diferencia esse tipo de token de criptoativos como o bitcoin, que são fungíveis e podem ser divididos e trocados — você pode enviar um bitcoin para alguém, e essa pessoa pode te enviar um bitcoin, e ambos continuarão com a mesma coisa. No caso dos NFTs, isso não acontece, já que não existem dois NFTs iguais.

Os NFTs podem ser utilizado para uma infinidade de aplicações, e os cards colecionáveis são apenas uma delas. Ingressos para eventos, imóveis, licenciamento de marcas e obras de arte são outros exemplos, mas as possibilidades — muitas delas ainda não exploradas — ainda são incalculáveis.

Últimas Notícias

ver mais
Startups de cripto e blockchain captam valor recorde em investimentos
seloBlockchain e DLTs

Startups de cripto e blockchain captam valor recorde em investimentos

Há menos de um minuto • 1 min de leitura
Grayscale revela fundo cripto de DeFi ligado ao novo índice da Coindesk
Blockchain e DLTs

Grayscale revela fundo cripto de DeFi ligado ao novo índice da Coindesk

Há menos de um minuto • 1 min de leitura
Plataforma une NFT e DeFi e cria mercado de produtos de luxo tokenizados
Blockchain e DLTs

Plataforma une NFT e DeFi e cria mercado de produtos de luxo tokenizados

Há menos de um minuto • 1 min de leitura
Startup brasileira usa blockchain e acelera processo de registro autoral
Blockchain e DLTs

Startup brasileira usa blockchain e acelera processo de registro autoral

Há menos de um minuto • 1 min de leitura
icon

Brands

ver mais

Uma palavra dos nossos parceiros

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

leia mais