EXAME Agro

Apoio:

Logo TIM__313x500

Rio Grande do Sul deve colher 4,068 milhões de toneladas de trigo em 2024/25, segundo Emater/RS

Aumento de 55,27% em comparação com o ciclo anterior, que registrou uma produção de 2,620 milhões de toneladas, de acordo com o IBGE

César H. S. Rezende
César H. S. Rezende

Repórter de agro e macroeconomia

Publicado em 28 de junho de 2024 às 10h04.

Última atualização em 28 de junho de 2024 às 10h09.

A Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Rio Grande do Sul (Emater/RS) divulgou nesta sexta-feira, 28, que o estado deve produzir 4,068 milhões de toneladas de trigo na safra 2024/25. Este volume, se confirmado, representará um aumento de 55,27% em comparação com a safra anterior, que registrou uma produção de 2,620 milhões de toneladas, de acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Apesar do crescimento na produção, a área cultivada de trigo no estado está prevista para diminuir, totalizando 1.312.488 hectares, o que representa uma redução de 12,84% em relação aos 1.505.807 hectares cultivados em 2023, de acordo com o IBGE. A produtividade esperada é de 3.100 kg por hectare, marcando um incremento de 77,04% em comparação com os 1.751 kg por hectare obtidos na safra anterior.

Durante o período de semeadura no Rio Grande do Sul, as chuvas intensas e o excesso de umidade no solo resultaram em um avanço mais lento do que o esperado na área semeada. Até o momento, apenas 56% da área projetada para o estado foi semeada.

A emergência das culturas tem sido desigual, com variações conforme o impacto e o volume das precipitações que ocorreram logo após a semeadura.

Nas regiões onde houve maiores volumes de chuva, observou-se escorrimento superficial, levando sementes e solo, além de acúmulo de terra sobre os sulcos de semeadura, causando irregularidade no estande de plantas.

As lavouras que foram implantadas mais cedo já entraram na fase de perfilhamento, quando novos brotos chamados de perfilhos começam a se desenvolver a partir da base da planta original, e estão recebendo tratos culturais, incluindo controle de plantas invasoras e adubação nitrogenada em cobertura.

Acompanhe tudo sobre:AgriculturaRio Grande do SulTrigo

Mais de EXAME Agro

Sebo bovino e banha de porco: a aposta da JBS para fazer combustível sustentável para aviação (SAF)

Inadimplência do agro sobe e atinge 7,3% no primeiro trimestre de 2024, mostra Serasa Experian

Doença de Newcastle: Três casos suspeitos são descartados, diz Mapa

Brasil tem condições de se manter no topo na exportação de algodão em 24/25, diz presidente da Abapa

Mais na Exame