MSD Saúde Animal cresce com pets e inovações para a pecuária

Empresa conquista faturamento de 1,45 bilhão de reais em 2021, 30% a mais do que em 2020, com aquisições e novas linhas de produtos; expectativa para 2022 segue positiva
Delair Bolis, presidente da MSD: faturamento em 2021 chegou a 1,45 bilhão de reais (divulgação/Divulgação)
Delair Bolis, presidente da MSD: faturamento em 2021 chegou a 1,45 bilhão de reais (divulgação/Divulgação)
Por Carla AranhaPublicado em 16/02/2022 08:14 | Última atualização em 16/02/2022 13:14Tempo de Leitura: 2 min de leitura

A MSD Saúde Animal, divisão da multinacional Merck & Co, vem aproveitando os bons resultados do mercado pet, que cresceu 30% no país nos últimos dois anos, e de setores como a pecuária e suinocultura, ambos em expansão. A empresa registrou um crescimento de cerca de 30% em 2021, alcançando um faturamento de 1,45 bilhão de reais.

Um dos grandes destaques coube à unidade MSD Saúde Animal Intelligence, voltada para novas tecnologias de monitoramento do comportamento dos animais, como sensores colocados na orelha do gado que medem uma série de parâmetros corporais. A área conquistou uma receita de 57 milhões de reais no ano passado, 32% a mais do que em 2020. “Houve também importante lançamentos, como o de uma vacina inovadora para uma doença que afeta o intestino de suínos”, diz Delair Bolis, presidente da empresa.

A MSD também realizou duas aquisições em 2021. Em maio, foi concluída a compra da Poultry Sense, empresa voltada para produtos da área de saúde para a indústria avícola – a avicultura um dos segmentos de maior representatividade no portfólio da empresa, depois da pecuária, suinocultura e pets.

Com a nova fábrica em Joinville, em Santa Catarina, que demandou investimentos da ordem de 10 milhões de reais, e novos produtos saindo do pipeline de inovação, a companhia segue animada para os resultados de 2022. “Com o abrandamento da pandemia, donos de pets devem levar os bichinhos com mais frequência ao veterinário e, com isso, nossa linha de produtos de saúde para animais de companhia deve conquistar uma expansão”, diz Bolis. A expectativa é de um crescimento de 20% no setor de pets, acima da estimativa para o mercado como um todo (16%). Até o final do ano, o faturamento deve chegar a 1,6 bilhão de reais.