EXAME Agro

Apoio:

Logo TIM__313x500

Ex-diretor da Conab vai à Comissão de Agricultura da Câmara explicar suspeitas sobre leilão de arroz

Ministro Paulo Pimenta, da secretaria criada para apoiar a reconstrução do Rio Grande do Sul, também será ouvido na Comissão

César H. S. Rezende
César H. S. Rezende

Repórter de agro e macroeconomia

Publicado em 2 de julho de 2024 às 18h36.

Última atualização em 2 de julho de 2024 às 19h16.

A Comissão de Agricultura, Pecuária, Abastecimento e Desenvolvimento Rural da Câmara dos Deputados realizará nesta quarta-feira,3, uma audiência pública para discutir o recente leilão de arroz promovido pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) e a exoneração de seu ex-diretor-executivo, Neri Geller — o evento foi solicitado pelo deputado Rodolfo Nogueira (PL-MS) e está agendado para as 17 horas, com local ainda a ser definido.

Durante a audiência, será ouvido Thiago José dos Santos, ex-diretor de Operações e Abastecimento da Conab. O deputado Nogueira expressou preocupações sobre a capacidade de uma empresa pouco conhecida, com nome fantasia "Queijo Minas", que foi incumbida de distribuir uma quantidade de arroz equivalente a quase seis navios.

Além disso, às 10h, será ouvido o ministro Paulo Pimenta, da secretaria criada para apoiar a reconstrução do Rio Grande do Sul, para discutir a proposta do governo de importar arroz. No mês passado, o ministro da Agricultura e Pecuária, Carlos Fávaro, compareceu à Comissão para prestar esclarecimentos sobre o certame.

Leilão do arroz

No começo de junho, a Conab cancelou a compra de 263,3 mil toneladas de arroz importado, justificando que as quatro empresas vencedoras não comprovaram capacidade técnica. Um novo leilão, com condições revisadas, está programado, segundo o ministro do Desenvolvimento Agrário, Paulo Teixeira.

Na sexta-feira, 28, Teixeira disse que o  novo edital está pronto e será lançado em breve. "O edital deve sair na próxima quinzena, está todo revisto para a gente então submeter a sua aprovação à Casa Civil, disse.

Desde o início das enchentes no Rio Grande do Sul, que é responsável por cerca de 70% da produção nacional de arroz, o governo tem defendido a importação do cereal para evitar que uma eventual alta de preços afete os consumidores.

Segundo a Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Rio Grande do Sul (Emater/RS), as inundações recentes nas áreas produtoras do estado ocasionaram uma perda de 9% na produtividade do arroz. A estimativa inicial era de 8.325 kg/hectare, mas, com a colheita finalizada, o índice oficializado se estabelece em 7.600 kg/hectare.

Acompanhe tudo sobre:ConabPlano SafraRio Grande do Sul

Mais de EXAME Agro

Exportações do agro brasileiro crescem 5,60% no primeiro semestre de 2024 e batem novo recorde

Safra 2024/25: produção de soja brasileira deve atingir 169 milhões de toneladas, estima USDA

Exportações do agro paulista crescem 8,9% no primeiro semestre e seguram balança comercial de SP

Mais na Exame