EXAME Agro
Acompanhe:

Carteira de crédito ao agronegócio do Banco do Brasil chega a R$ 300 bilhões

Líder em agronegócio no País, com cerca de 60% do mercado, o BB tem no segmento um de seus principais clientes

BB: A concessão de crédito do banco ao setor agrícola inclui os recursos do Plano Safra, que possuem subsídios, bem como outras linhas de concessão (Adriano Machado/Reuters)

BB: A concessão de crédito do banco ao setor agrícola inclui os recursos do Plano Safra, que possuem subsídios, bem como outras linhas de concessão (Adriano Machado/Reuters)

E
Estadão Conteúdo

22 de dezembro de 2022, 07h56

O Banco do Brasil informou na quarta-feira, 21, que a carteira de crédito do banco destinada ao agronegócio ultrapassou a marca dos R$ 300 bilhões. Líder em agronegócio no País, com cerca de 60% do mercado, o BB tem no segmento um de seus principais clientes.

O comunicado do BB não traz maiores detalhes sobre a marca. No final de 2021, a carteira da instituição no segmento era de R$ 248 bilhões, o que indica crescimento próximo a 21% no comparativo dos últimos 12 meses.

A concessão de crédito do banco ao setor agrícola inclui os recursos do Plano Safra, que possuem subsídios, bem como outras linhas de concessão.

No Plano Safra 2022/2023, até setembro, o BB havia registrado R$ 63,5 bilhões em desembolsos. Na divulgação do balanço do banco referente ao terceiro trimestre, no início de novembro, a instituição afirmou que as concessões haviam crescido mais.

"Posso dizer para vocês que já desembolsamos cerca de R$ 84 bilhões, se pegarmos o número da última semana", disse o presidente do banco, Fausto Ribeiro, na ocasião.

O segmento agro foi afetado, no último ano, pela inflação de insumos que leva a uma maior necessidade de recursos para o custeio das safras. O BB tem afirmado, porém, que para além deste fator, o setor tem crescido em demanda por crédito.

Para o banco, o agro tem representado ainda um fiel da balança em um momento de aumento da inadimplência em outros segmentos. Os atrasos no agro, pelo critério acima de 90 dias, eram de 0 47% da carteira em setembro, ante um índice de 2,34% se considerados todos os segmentos.